Please reload

Tags
Destaque

Mapa Mental: Período Regencial

November 11, 2019

1/10
Please reload

QUESTÕES: Grécia

01 - (FUVEST SP/2015)   

Em certos aspectos, os gregos da Antiguidade foram sempre um povo disperso. Penetraram em pequenos grupos no mundo mediterrânico e, mesmo quando se instalaram e acabaram por dominá􀍲lo, permaneceram desunidos na sua organização política. No tempo de Heródoto, e muito antes dele, encontravam􀍲se colônias gregas não somente em toda a extensão da Grécia atual, como também no litoral do Mar Negro, nas costas da atual Turquia, na Itália do sul e na Sicília oriental, na costa setentrional da África e no litoral mediterrânico da França. No interior desta elipse de uns 2500 km de comprimento, encontravam􀍲se centenas e centenas de comunidades que amiúde diferiam na sua estrutura política e que afirmaram sempre a sua soberania. Nem então nem em nenhuma outra altura, no mundo antigo, houve uma nação, um território nacional único regido por uma lei soberana, que se tenha chamado Grécia (ou um sinônimo de Grécia).

M. I. Finley. O mundo de Ulisses. Lisboa: Editorial Presença, 1972. Adaptado.

 

Com base no texto, pode􀍲se apontar corretamente

 

a)     a desorganização política da Grécia antiga, que sucumbiu rapidamente ante as investidas militares de povos mais unidos e mais bem preparados para a guerra, como os egípcios e macedônios.

b)     a necessidade de profunda centralização política, como a ocorrida entre os romanos e cartagineses, para que um povo pudesse expandir seu território e difundir sua produção cultural.

c)      a carência, entre quase todos os povos da Antiguidade, de pensadores políticos, capazes de formular estratégias adequadas de estruturação e unificação do poder político.

d)     a inadequação do uso de conceitos modernos, como nação ou Estado nacional, no estudo sobre a Grécia antiga, que vivia sob outras formas de organização social e política.

e)     a valorização, na Grécia antiga, dos princípios do patriotismo e do nacionalismo, como forma de consolidar política e economicamente o Estado nacional.

 

 

02 - (UEG GO/2015)   

A cultura grega marca a origem da civilização ocidental e ainda hoje podemos observar sua influência nas ciências, nas artes, na política e na ética. Dentre os legados da cultura grega para o Ocidente, destaca-se a ideia de que

 

a)     a natureza opera obedecendo a leis e princípios necessários e universais que podem ser plenamente conhecidos pelo nosso pensamento.

b)     nosso pensamento também opera obedecendo a emoções e sentimentos alheios à razão, mas que nos ajudam a distinguir o verdadeiro do falso.

c)      as práticas humanas, a ação moral, política, as técnicas e as artes dependem do destino, o que negaria a existência de uma vontade livre.

d)     as ações humanas escapam ao controle da razão, uma vez que agimos obedecendo aos instintos como mostra hoje a psicanálise.

 

 

03 - (Mackenzie SP/2015)   

A partir do século VII a.C., a cidade de Atenas passou por consideráveis transformações, culminando com o desenvolvimento do regime democrático. Nesse sentido, governantes atenienses foram de fundamental importância para o desenvolvimento político daquela cidade. A esse respeito, julgue os itens a seguir.

 

I.       Drácon iniciou as reformas, estabelecendo uma legislação escrita para a cidade. Apesar de extremamente severas, essas leis retiraram o poder político das mãos dos eupátridas, concedendo maior participação às camadas populares.

II.     Sólon propôs reformas em três sentidos. Na economia, estimulou o comércio e a indústria. Em termos sociais, aboliu a escravidão por dívidas. Na política, estabeleceu o regime censitário, eliminando, portanto, critério de nascimento para a participação política.

III.    Clístenes deu início a um processo de reformas que implantavam a democracia. Dentre suas medidas políticas, estabeleceu o princípio da isonomia – igualdade – dos cidadãos e a participação direta deles por meio da Assembleia (Eclesia).

 

Assinale

 

a)     se apenas o item III está correto.

b)     se apenas os itens II e III estão corretos.

c)      se apenas os itens I e III estão corretos.

d)     se os itens I, II e III estão corretos.

e)     se apenas os itens I e II estão corretos.

 

 

04 - (UCS RS/2015)   

O filme 300 é uma adaptação feita pelo quadrinista Frank Miller e pelo diretor Zack Snyder ao relato do historiador grego Heródoto sobre a bravura de um grupo de 300 espartanos, liderados pelo Rei Leônidas. Este enfrentou o gigantesco exército invasor do então rei da Pérsia, Xerxes I, no seu intento de conquistar as cidades-estado que compunham o território de Hélade: o evento ficou conhecido como a Batalha das Termópilas. O sucesso do filme fez com que algumas cenas se tornassem referência da cultura moderna, como a que o Rei Leônidas grita This is Sparta! (Esta é Esparta!) e acerta um pontapé no mensageiro de Xerxes I e o manda para o fundo de um poço. Mas, apesar das liberdades criativas que o filme toma com relação à história original de Heródoto, a essência foi mantida: imortalizar o caráter de sacrifício de um grupo de honrados soldados que, mesmo sabendo que iriam morrer, se sacrificaram para proteger e inspirar outros a lutarem por um objetivo maior. Remember us, remember why we died (Lembrem-se de nós, lembrem-se de por que nós morremos) é outra frase marcante do filme.

 

Tendo como referência o texto acima, assinale a alternativa correta.

 

a)     A diferença existente entre a ficção – retratada no cinema e/ou em uma obra literária – e a realidade encontra-se no uso de fontes e na metodologia utilizada pelo historiador.

b)     Se o pontapé de Leônidas submeteu o mensageiro de 80 kg a uma aceleração de 300 cm/s2, então, a força aplicada pelo pontapé foi de 24.000 N.

c)      Se o exército total de Xerxes I possuísse 600.000 soldados, então, cada um dos 300 espartanos precisaria abater 20 rivais por dia para que, ao final de 8 semanas, todos os inimigos estivessem mortos.

d)     Os vírus são micro-organismos altamente infecciosos e que necessitam de células mortas para se reproduzirem. Por esse motivo, após as batalhas, os mortos precisavam ser queimados para evitar a proliferação de doenças entre os soldados sobreviventes.

e)     A derrota final de Xerxes I, historicamente, possibilitou que o capitalismo se instalasse no mundo atual, uma vez que suas origens remontam a pensadores gregos, como Platão, Sócrates e Alexandre, o Grande.

 

 

05 - (IFSP/2015)   

“A instituição da escravidão”, segundo Platão, “é necessária porquanto os trabalhos materiais, servis, são incompatíveis com a condição de um homem livre em geral”. A escravidão na Grécia Antiga, assim como em Roma, deve ser caracterizada por

 

a)     inconstância, pois a característica desses povos era a utilização de escravos apenas esporadicamente, sendo que o próprio povo trabalhava na feitura das obras públicas, no campo etc..

b)     estrutura socioeconômica, pois esse tipo de trabalho movia as sociedades grega e romana, sendo utilizado desde para os trabalhos nas minas e galés até no trabalho intelectual.

c)      espírito guerreiro, pois esses povos tornaram a guerra a sua principal fonte de renda, e a escravidão passou a ser uma consequência inevitável.

d)     exceção, pois das sociedades antigas, essas se caracterizam pela quase ausência de mão-de-obra escravista.

e)     exclusão, pois aos elementos indesejáveis dessas sociedades era dada a pena da escravidão, tanto aos assassinos como aos traidores e devedores.

 

 

06 - (Unievangélica GO/2015)   

O berço da civilização ocidental é tradicionalmente Leia apontado como a Grécia antiga.

 

É característica da organização social dos gregos na antiguidade, a existência

 

a)     das cidades-estados, cada uma com suas leis, seu calendário, suas moedas, porém unidas pelo sistema de federação.

b)     da pólis, que compreendia uma área urbana e uma área rural onde a população se ocupava das atividades agropastoris.

c)      do trabalho livre em substituição à mão de obra escrava, o que a caracteriza como primeira civilização comercial.

d)     da classe social dos cidadãos, em que todos tinham direitos políticos, direito ao desenvolvimento econômico e ao trabalho livre.

 

 

07 - (UECE/2015)   

“Eucrates, filho de Aristôtimos, do Pireu, fez a moção: Com a boa sorte do Povo de Atenas. Que os legisladores resolvam: se alguém se rebelar contra o Povo visando implantar a Tirania, ou juntar-se a conspiradores, ou se alguém atenta contra o Povo de Atenas ou contra a Democracia, em Atenas, se alguém cometeu algum destes crimes, quem o matar estará livre do processo(...).”

Lei Ateniense contra a Tirania, 337-6 a.C. FUNARI, P.P.A. Antiguidade Clássica: a história e a cultura a partir dos documentos. Campinas: Editora Unicamp, 2003. p.90.

 

A Lei Ateniense de 337-6 a.C contra a Tirania. insere-se na

 

a)     passagem da cidade independente para o estado imperial helenístico.

b)     fase em que as cidades gregas reforçavam sua autonomia e poder.

c)      busca ansiosa de consolidar o legítimo poder do soberano.

d)     conciliação das poleis gregas no decorrer do quarto século a.C.

 

 

08 - (UCS RS/2015)   

Situações que trazem conteúdo para a inspiração ou à reflexão e que servem de modelo para a humanidade não precisam, necessariamente, estar ligados a pessoas ou fatos reais. Vários mitos cumprem esse papel, expressando uma ideia de forma direta ou alegórica. Por exemplo, na mitologia grega, o astuto “Titã Prometeu”, era considerado um defensor da humanidade e foi responsável pelo roubo do fogo de Zeus, a principal divindade do Olimpo. Prometeu deu o fogo aos mortais, o que foi considerado um crime imperdoável por Zeus, que puniu o Titã acorrentando-o a uma rocha, enquanto uma águia vinha todo o dia comer seu fígado, que se regenerava no dia seguinte, infringindo-lhe ciclos de sofrimento terríveis. Até que um dia Prometeu foi libertado pelo herói Hércules.

 

Sobre o contexto apresentado, assinale a alternativa correta.

 

a)     O mito tem um problema em seu eixo dramático, pois como o fígado faz parte do sistema imunitário, sua ausência representa que Prometeu não sentiria mais dor.

b)     A tragédia de Prometeu pode ser interpretada como uma alegoria sobre a criação das ciências exatas, como a Química e a Física, uma vez que ela coloca conhecimento da natureza (domínio do fogo) e crença no divino como componentes inseparáveis.

c)      Um dos aspectos que distancia o mito de Prometeu da realidade é o fato de que a águia é uma ave de rapina e, como tal, é vegetariana.

d)     O mito de Prometeu, visto pela óptica da literatura, é considerado uma parábola, pois segue a estrutura básica do herói-mártir (Prometeu) e do vilão (Zeus), linha narrativa que ganhou destaque na literatura brasileira graças à Semana de Arte Moderna de 1922.

e)     O comportamento de regeneração do fígado de Prometeu poderia ser descrito por uma função matemática periódica, tendo o tempo como variável.

 

TEXTO: 1 - Comum às questões: 9, 10

 

 

A partir do século VII a.C., muitas comunidades nas ilhas, na Grécia continental, nas costas da Turquia e na Itália construíram grandes templos destinados a deuses específicos: os deuses de cada cidade.

As construções de templos foram verdadeiramente monumentais. [...] Tornaram-se as novas moradias dos deuses. Não eram mais deuses de uma família aristocrática ou de uma etnia, mas de uma pólis. Eram os deuses da comunidade como um todo. A religião surgiu, assim, como um fator aglutinador das forças cooperativas da pólis. [...]

A construção monumental foi influenciada por modelos egípcios e orientais. Sem as proezas de cálculo matemático, desenvolvidas na Mesopotâmia e no Egito, os grandes monumentos gregos teriam sido impossíveis.

(Norberto Luiz Guarinello. História antiga, 2013.)

 

 

09 - (UNESP SP/2015)   

Segundo o texto, um papel fundamental da religião, na Grécia antiga, foi o de

 

a)     eliminar as diferenças étnicas e sociais e permitir a igualdade social.

b)     estabelecer identidade e vínculos comunitários e unificar as crenças.

c)      impedir a persistência do paganismo e afirmar os valores cristãos.

d)     eliminar a integração política, militar e cultural entre as cidades-estados.

e)     valorizar as crenças aristocráticas e eliminar as formas de culto populares.

 

 

10 - (UNESP SP/2015)   

A relação estabelecida no texto entre a arquitetura grega e a arquitetura egípcia e oriental pode ser justificada pela

 

a)     circulação e comunicação entre povos da região mediterrânica e do Oriente Próximo, que facilitaram a expansão das construções em pedra.

b)     dominação política e militar que as cidades-estados gregas, lideradas por Esparta, impuseram ao Oriente Próximo.

c)      presença hegemônica de povos de origem árabe na região mediterrânica, que contribuiu para a expansão do Islamismo.

d)     difusão do helenismo na região mediterrânica, que assegurou a incorporação de elementos culturais dos povos dominados.

e)     força unificadora do cristianismo, que assegurou a integração e as recíprocas influências culturais entre a Europa e o norte da África.

 

 

 

 

 

_________________________________________________

 

GABARITO:

 

1) Gab: D

 

2) Gab: A

 

3) Gab: B

 

4) Gab: A

 

5) Gab: B

 

6) Gab: B

 

7) Gab: A

 

8) Gab: E

 

9) Gab: B

 

10) Gab: A

 

 

Please reload

© 2015 por História em Foco. Orgulhosamente criado por Jonatas Alexandre

  • Grey YouTube Icon
  • Instagram - White Circle
  • Facebook B&W
  • Google+ B&W