Please reload

Tags
Destaque

Mapa Mental: John Locke

November 19, 2019

1/10
Please reload

Questões: Iluminismo

Arquivo com todas as questões sobre Iluminismo. Clique aqui para baixar (211 questões).

 

 

01 - (IFGO/2015)   

(...) na última parte do século XVIII, (...) o evidente sucesso internacional do poderio capitalista britânico levou a maioria destes monarcas (ou melhor, seus conselheiros) a tentar programas de modernização intelectual, administrativa, social e econômica. Naquela época, os príncipes adotavam o slogan do "iluminismo" do mesmo modo como os governos de nosso tempo, por razões análogas, adotam slogans de "planejamento".

HOBSBAWM, E. “A Era das Revoluções”, Paz e Terra, 10ª ed., 1997.

 

A história das ideias e dos movimentos intelectuais tem grande importância para compreendermos transformações e características fundamentais da nossa sociedade. A esse respeito, assinale a alternativa correta.

 

a)     O poderio britânico, no século XVIII, se deve à conquista de colônias no espaço afro-asiático.

b)     O fato histórico descrito no texto ficou conhecido como “despotismo esclarecido”.

c)      No século XVIII, a Revolução Industrial organizou um cenário econômico homogêneo na Europa e, em contrapartida, reforçou o atraso das nações do continente americano.

d)     A modernização político-econômica, no século XVIII, se deve ao surgimento dos chamados regimes absolutistas.

e)     O iluminismo procurou conciliar a influência cultural da Igreja com a racionalização das instituições políticas.

 

 

 

02 - (PUC GO/2015)   

Hermano não falava nunca de sua casa. Alegava não compreender muito bem porque o homem devia ter um lar. O homem, diziam-lhe sempre, era o ser livre. Nem Deus o quis privar da liberdade. E Deus era o manda-chuva do mundo. E seu criador. Um dia, entediado, ele começou a brincar com barro, na sua olaria. Nos quintais do céu, Jeová havia mandado construir uma, para fabricar telhas e com elas consertar goteiras no purgatório. Brincando, suas mãos infinitamente idosas fizeram uma travessura digna de boa surra. Criaram o Homem! Um boneco de barro, metido a muita cousa. Mas Jeová se arrependeu da brincadeira. Vendo o que faria o boneco, saído de si em momento de tédio, atirou-o num monte enorme de barro. E lá o deixou. Livre.

Deus não fez como seu Manoel açougueiro que criou a Regina e o Chiquinho – um casal de bonecos pretos – e nunca mais os largou.

Hermano achava que o tal homem seria verdadeiramente livre se não tivesse todos os dias que ir a casa para almoçar. Para tomar banho. Para dormir. E mexer numa tulha cheia de problemas mesquinhos. Falta de feijão; educação, futuro, contas do padeiro, baratas e trabalho. Dogmas, normas, inibições. Para ele, o homem não era livre. Livre, sim, era o burro. Um burro come onde encontra capim. Não tem que voltar, tarde da noite, para uma cama no quarto de uma casa, numa rua de cidade. Quanta limitação! Qual, o homem não era livre.

[...]

(LEÃO, Ursulino. Maya. 2. ed. Goiânia: Kelps, 1975, p. 13. Adaptado.)

 

O texto afirma que o homem deve ser livre. No século XVIII, na Europa, a liberdade do homem passou a ser evocada por filósofos e educadores para que se alcançasse o progresso intelectual, social e moral. Nesse empreendimento, o problema educativo foi posto cada vez mais no centro da vida social. Sobre essa temática, analise os itens a seguir quanto à sua correção:

 

I.       A educação deveria ter a função de assegurar aos grupos sociais a formação dos cidadãos para a produtividade, libertando-os de preconceitos, tradições acríticas e crenças irracionais.

II.     A educação promoveria o fortalecimento do sentimento religioso, pois a religião seria um mediador entre a sociedade e o poder, evitando assim os conflitos sociais, a desordem e a amoralidade dos princípios.

III.    A educação seria emancipadora, porque o homem autônomo reivindicaria para si próprio o papel de guia de sua formação.

 

De acordo com os itens analisados, marque a alternativa que contém apenas proposições corretas:

 

a)     I , II e III.

b)     I e II.

c)      I e III.

d)     II e III.

 

 

 

03 - (Fac. Cultura Inglesa SP/2015)   

O homem “esclarecido” é aquele que, ao superar a passividade da razão, sai de uma “menoridade” intelectual pela qual é o único responsável “por preguiça e frouxidão” e que não é senão “incapacidade de se servir de sua inteligência sem ser dirigido por outrem”.

(Louis Guillermit. “Emanuel Kant e a Filosofia Crítica”. In: François Châtelet (org.) A filosofia e a história, vol. 5, 1974.)

 

O argumento kantiano deve ser entendido no interior dos princípios da filosofia

 

a)     escolástica medieval.

b)     existencialista cristã.

c)      racionalista cartesiana.

d)     positivista cientificista.

e)     iluminista da época moderna.

 

 

 

04 - (Fac. Direito de Sorocaba SP/2015)   

Consideramos as seguintes verdades evidentes por si mesmas, a saber, que todos os homens são criados iguais, dotados pelo Criador de certos direitos inalienáveis, entre os quais figuram a vida, a liberdade e a busca da felicidade. Para assegurar esses direitos, entre os homens se instituem governos, que derivam seus justos poderes do consentimento dos governados.

(Declaração da Independência, apud Harold C. Syrett,
Documentos Históricos dos Estados Unidos)

 

Esse documento revela a influência das ideias

 

a)     de Thomas Hobbes, por justificar o governo como necessário para a ordem na natureza.

b)     liberais, por colocar a liberdade acima dos interesses políticos e da verdade científica.

c)      de John Locke, por defender o contrato social entre governantes e governados.

d)     iluministas, por destacar a importância de Deus na organização política de um povo.

e)     de Rousseau, por apoiar a soberania popular, a igualdade e o sufrágio universal.

 

 

 

05 - (UNICAMP SP/2015)   

A igualdade, a universalidade e o caráter natural dos direitos humanos ganharam uma expressão política direta pela primeira vez na Declaração da Independência americana de 1776 e na Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão de 1789. Embora se referisse aos “antigos direitos e liberdades” estabelecidos pela lei inglesa e derivados da história inglesa, a Bill of Rights inglesa de 1689 não declarava a igualdade, a universalidade ou o caráter natural dos direitos. Os direitos são humanos não apenas por se oporem a direitos divinos ou de animais, mas por serem os direitos de humanos em relação uns aos outros.

(Adaptado de Lynn Hunt, A invenção dos direitos humanos: uma história. São Paulo: Companhia das Letras, 2009, p. 19.)

 

Assinale a alternativa correta.

 

a)     A prática jurídica da igualdade foi expressa na Declaração de Independência dos EUA e assegurada nos países independentes do continente americano após 1776.

b)     A lei inglesa, ao referir-se aos antigos direitos, preservava a hierarquia, os privilégios exclusivos da nobreza sobre a propriedade e os castigos corporais como procedimento jurídico.

c)      No contexto da Revolução Francesa, a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão significou o fim do Antigo Regime, ainda que tenham sido mantidos os direitos tradicionais da nobreza.

d)     Os direitos do homem, por serem direitos dos humanos em relação uns aos outros, significam que não pode haver privilégios, nem direitos divinos, mas devem prevalecer os princípios da igualdade e universalidade dos direitos entre os humanos.

 

 

 

06 - (UNICAMP SP/2015)   

A maneira pela qual adquirimos qualquer conhecimento constitui suficiente prova de que não é inato.

(John Locke, Ensaio acerca do entendimento humano. São Paulo: Nova Cultural, 1988, p.13.)

 

O empirismo, corrente filosófica da qual Locke fazia parte,

 

a)     afirma que o conhecimento não é inato, pois sua aquisição deriva da experiência.

b)     é uma forma de ceticismo, pois nega que os conhecimentos possam ser obtidos.

c)      aproxima-se do modelo científico cartesiano, ao negar a existência de ideias inatas.

d)     defende que as ideias estão presentes na razão desde o nascimento.

 

 

 

07 - (UFAM/2015)   

“A partir da segunda metade do século XVIII, enquanto alguns países da Europa Ocidental assistiam à vitória das forças ligadas ao capitalismo, em outros países empreendeu-se uma política reformista visando à modernização dos Estados pelos respectivos soberanos. A essa política, que variou segundo as circunstâncias próprias a cada país, denominamos de despotismo esclarecido ou reformismo ilustrado. Geralmente os ‘monarcas esclarecidos’ adotavam a fraseologia dos filósofos do Iluminismo para empreender a modernização de seus Estados; tratava-se de adaptar alguns princípios novos a Estados de condições socioeconômicas e políticas atrasadas.”

AQUINO, R. História das Sociedades.
Das Sociedades Modernas às Sociedades Atuais. RJ: Novo Milênio, 2010.

 

O apogeu do despotismo esclarecido na Prússia foi atingido no governo de Frederico II, o Grande. Influenciado principalmente pelo ideário de Voltaire, ele acreditava que o rei era o coração, a alma e o cérebro do Estado. Para o monarca, o objetivo de governo era o bem comum, a preocupação com os interesses, felicidade e bem estar do povo. Ao assumir o poder, Frederico II adotou uma série de medidas, como:

 

a)     Confisco dos bens e as propriedades da Igreja, distribuindo essas terras aos nobres.

b)     Elevação do imposto de captação, sobretaxando os camponeses prussianos, o que aumentou as receitas do Estado.

c)      Abolição das torturas aos presos políticos, concedendo aos prussianos plena liberdade de expressão.

d)     Manutenção do regime de servidão e aumento dos direitos dos proprietários sobre os servos da terra.

e)     Criação de um Tribunal de Justiça para julgar delitos da nobreza e promulgação de uma Constituição baseada em princípios democráticos.

 

 

 

08 - (UNCISAL AL/2015)   

“Sempre considerei as ações dos homens como as melhores intérpretes dos seus pensamentos.”

John Locke

 

A frase de John Locke nos remete ao Iluminismo e seus objetivos nos diversos âmbitos que formam a vida em sociedade. Sobre ideário iluminista, é correto afirmar que

 

a)     seu caráter popular afastou os intelectuais e aproximou a pequena burguesia da nobreza togada.

b)     o intelectualismo se tornou um obstáculo à expansão do iluminismo, fato que minimizou sua influência nas revoluções burguesas.

c)      Adam Smith dissocia a liberdade econômica da liberdade política, fazendo prevalecer esta última em detrimento da primeira.

d)     a razão apresenta um poder emancipador capaz de tirar o homem da menoridade e libertá-lo da opressão política e dos resquícios das trevas medievais.

e)     o projeto iluminista não se opunha totalmente ao mercantilismo nem ao absolutismo já que preserva em grande parte as instituições do Antigo Regime.

 

 

 

09 - (PUCCamp SP/2014)   

No século XVIII, emergiu nas Minas Gerais uma pequena elite, culta e letrada, que se ocupava de tarefas burocráticas e administrativas e se dedicava às artes e à literatura.

Atraída pelo ideal iluminista, essa elite foi protagonista de um surto literário inédito no Brasil, produzindo obras de natureza poética. Os poetas líricos Tomás Antonio Gonzaga e Cláudio Manuel da Costa exaltavam a vida bucólica e os amores tranquilos, seguindo a tradição dos modelos clássicos, em um movimento literário que ficou conhecido como Arcadismo. Formados em Coimbra, Portugal, ambos ocupavam cargos públicos nas Minas Gerais e, em 1789, protagonizaram uma das primeiras conspiraç ões separatistas na colônia: a Conjuração Mineira.

 

(NAPOLITANO, Marcos; VILLAÇA, Mariana. História para o ensino médio. São Paulo: Saraiva, 2013. p. 293)

 

De acordo com o texto de Marcos Napolitano e Mariana Villaça, pode-se afirmar que o Iluminismo

 

a)     definiu a fisionomia cultural da colônia e, ao provocar mudanças na maneira de entender o mundo na elite intelectual brasileira, incentivou a inspiração poética de caráter indianista.

b)     possibilitou, com sua ideia de triunfo da razão, a construção de uma opinião pública capaz de fazer as elites brasileiras assumirem posições críticas em relação ao estatuto colonial.

c)      incentivou, com suas ideias libertárias, o sentimento nativista entre os poetas do Arcadismo, contribuindo para transformar a realidade brasileira em temas de inspiração poéticas.

d)     desencadeou mudanças profundas na organização da sociedade e na vida cultural brasileira que, por meio da elite intelectual, produziu uma crítica abran gente da dominação colonial.

e)     gerou, com seus lemas como o da igualdade, uma revolução cultural na colônia brasileira e, ao influenciar o pensamento artístico, favoreceu o surgimento de movimentos nativistas.

 

 

 

10 - (UEL PR/2015)   

Leia o texto a seguir.

 

Em geral, são necessárias as seguintes condições para autorizar o direito do primeiro ocupante de qualquer pedaço de chão: primeiro, que esse terreno não esteja ainda habitado por ninguém; segundo, que dele só se ocupe a porção de que se tem necessidade para subsistir; terceiro, que dele se tome posse não por uma cerimônia vã, mas pelo trabalho e pela cultura, únicos sinais de propriedade que devem ser respeitados pelos outros, na ausência de títulos jurídicos.

(ROUSSEAU, J. J. Do Contrato Social. Trad. de Lourdes Machado. São Paulo:
Abril S. A. Cultural, 1973. p.44. (Coleção Os Pensadores.))

 

Com base no texto e nos conhecimentos acerca da questão do contratualismo em Rousseau, assinale a alternativa que apresenta, corretamente, as condições que autorizam o direito do primeiro ocupante.

 

a)     O assenhoreamento de grandes quantidades de terras no “novo mundo” por povos, utilizando-se da força para afastar delas os outros homens.

b)     A conciliação do trabalho e da necessidade para subsistência de cada um, independentemente da prioridade temporal do ocupante.

c)      A expulsão dos habitantes da terra, a declaração “isto é meu” e o convencimento dos demais sobre a sua ocupação.

d)     A ocupação de terras desabitadas, que, devido à sua vastidão, estão para além da capacidade do primeiro ocupante de cultivá-las.

e)     A primeira ocupação da terra, limitada à esfera da subsistência e de sua real utilização, via cultivo da terra.

 

 

 

 

 

___________________________________

GABARITO:

 

1) Gab: B

2) Gab: C

3) Gab: E

4) Gab: C

5) Gab: D

6) Gab: A

7) Gab: C

8) Gab: D

9) Gab: C

10) Gab: E

 

 

Please reload

© 2015 por História em Foco. Orgulhosamente criado por Jonatas Alexandre

  • Grey YouTube Icon
  • Instagram - White Circle
  • Facebook B&W
  • Google+ B&W